sábado, 7 de janeiro de 2012

Porque a Mensagem Apostólica nunca está no nível do ministerialmente conhecido

Muitos sentem repulsão pela mensagem "apostólica" pela mera suposição de que ela seja petulante e presuma superioridade. Mas, veja. Aqui neste Blog não nos interessa defender o que não consideramos genuinamente apostólico, senão apenas o que cremos sincera e modestamente na Bíblia.Nunca nos julgue como que "endossamos"as falsificações e adulterações dos dias de hoje! Eu ainda prefiro um pastor medíocre, a um apóstolo falso.
Tenho certeza absoluta que o apostólico sempre deve e será superior ao meramente ministerial clássico e tradicional. Por que? Porque quando dos Doze se trata, havia na sua designação divina uma incumbência celestial única. Quando da segunda camada de apóstolos se trata, incluído Paulo, a igreja estava nascendo, e lhe agradou ao Senhor "revelar a Paulo o Mistério de Deus e de Cristo", o que os faz exclusivos em tudo. Entrelaçados com esta segunda camada, ainda temos a um dos doze que ficou para remendar a rede-igreja, quando estava se degradando, e é João, e este também é de caráter exclusivo, ao ponto de fechar-se o Canon das Escrituras com a sua mensagem, por tanto, trata-se de apóstolos diria eu ESPECIAIS, únicos, e por tanto, com uma superioridade ministerial exclusiva na sua época e para qualquer época, dado que passaram a formar parte do Canon.
Nos dias atuais a igreja existe no meio de uma multiplicidade de divisões. Se eu dizer que uma só comunidade é igreja e as outras não, estou sendo sectário; mas se afirmo que todas são igualmente igreja, no mínimo estou pecando de blasfêmia, ao pretender ser mais indulgente que Cristo, o fundador da igreja.
Na atualidade, o GENUÍNO APÓSTOLO não poderia ser menos que homens e mulheres que amem a todos os salvos, independente da denominação, grupo ou comunidade onde comunguem sempre que sejam membros de Cristo, e que no amor de Deus vivam para servi-los com a Palavra, com a Verdade de Deus, com o intuito da maturidade individual e corporativa da igreja.
"Apóstolo" que não cumpre com este perfil de "unidade do Corpo de Cristo", não merece ser considerado tal; assim como outros "ministros" que porfiem em manter o seu grupo separado dos demais filhos de Deus, e sob a sua plenipotenciária autoridade.
Não quer dizer que um pastor de qualquer igreja ou denominação não pregue e ensine a Verdade e não ame aos filhos de Deus genuinamente. Mas, seja sincero consigo mesmo: Guardar outro dia da semana para o Senhor, dar os dízimos noutro lado, reunir-se com outros, ser discipulado por meio de outro programa, servir a outra organização, etc., ajudaria a manter a mensagem inalterada tal qual Cristo estabeleceu e as Escrituras afirmam e os primeiros apóstolos ensinaram em seu ministério? NUNCA! porque a Bíblia afirma que "um pouco de fermento, leveda toda a massa". Isto é lógico, matematicamente certo! Natural e comum!
Posso lhe demonstrar isto por muitos meios, o Escritural, o Revelacional, o Exegético, o Antropológico, o Ontológico, o Psicológico, o Sociológico, o Epistemológico, o Etimológico, e o Histórico e Contextual.
Permaneça onde você está, mas não deixe de vigiar para não endeusar "o meio", ou ferramenta, e nem se deixe escravizar pelos homens e os interesses dos homens. Priorize Cristo, e por Ele, se tiver que considerar tudo como lixo, de você depende. Eu já tomei a decisão! Não defendo a ninguém em particular. Somente a família de Deus, filhos de Deus renascidos, independente de tudo, dependente de Cristo em Absoluto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário